quarta-feira, 13 de maio de 2009

No caderno

Fico sempre surpresa com minhas anotações nos meus cadernos depois de um certo tempo.
Achei essas páginas escritas há pouco mais de uma ano atrás, quando ainda não tinha trabalho e tinha muito tempo pra pensar na vida.

"Hoje sou alguém que acha que realmente aprendeu com o passado.
Alguém que respeita o que foi, as escolhas que fez, que aceita os erros que comenteu - porque qualquer outra consideração a respeito é perda de tempo. Passou.
Aprendi a diferenciar as coisas importantes das realmente importantes - porque aprendi a ver o momento em que acontecem e se pedem minha decisão, a nomeação de prioridade.
Aprendi a extender o olhar a longo prazo, a pensar mais a fundo, fazer uma segunda pergunta, estar atenta a um detalhe, me perguntar se é realmente aquilo mesmo... Mas principalmente, considerar os fatos e decisões pelo menos por uma segunda vez.
Aprendi que as decisões não podem morar no impulso, mas sim na sensatez. E que para ser sensato - não incerto - o tempo sempre estará ao meu lado.
Sou eu, e não mais os fatos ou pessoas que me rodeiam que definem as prioridades da minha vida. Isso eu passei a chamar de respeito próprio.
E passei a ver, finalmente, que não há nada igual ou parecido comigo ou com o caminho que faço, porque sou eu (e só eu) quem vai andar através dele.
Ah, e voltei a usar relógio (porque me encontrei e fiz as pazes com o tempo?) e não quero mais me atrasar.
Eu não tenho que deixar me levar por fatos ou escolhas que não são minhas se eu não estiver feliz.
E descobri que "feliz o suficiente" não é "feliz de verdade" - então eu me permiti querer mais da vida e exigir mais das pessoas."

Achei interessante, surpreendente e maravilhosamente verdadeiro :)
Geralmente eu escrevo pra desabafar e não fico lendo depois o que escrevi. Então quando o tempo passa e leio de novo, sem nem lembrar sobre o que era, é engraçado como me surpreende a sinceridade das palavras.
Pode ter cara de auto-ajuda, sim, talvez. Mas é de mim pra mim!

Nat

3 comentários:

Tititi disse...

Legal! O texto foi escrito num momento em que vc amadureceu e percebeu isso.Realmente é bacana reler nossos desabafos depois de um tempo, revisamos o que aprendemos.
Esses dias eu estava arrumando uma papelada minha e achei alguns também. Mais pra frente vou postá-los.
Bjokas!

~*Rebeca e Jota Cê *~ disse...

Adorei!

Lily disse...

Depois que eu fiz o blog, eu diminuí o hábito de escrever manualmente meus pensamentos! Só o faço quando a situação está realmente crítica, já desabafei com todas as minhas amigas, escrevi no blog, mas ainda assim preciso botar pra fora o que eu sinto!
Mas depois de um tempo, é interessante ler o q a gente escreveu. Comigo, na maioria das vezes, eu leio e penso o qnto eu fui idiota na situação, hehe!
Mas mesmo assim é bom até pra gente ter a certeza de que tudo passa...

Bjks

P.s.: O A Vida Não Presta Mesmo por enquanto voltou para o endereço antigo www.avidanaoprestamesmo.blogspot.com